Volume
Redes
Sociais
B M
Outra drag queen, outra escola, mesma ideologia de gênero
06/12/2017 - 16h08 em Mundo

Apresentação no Rio Grande do Sul repete situação semelhante à da Bahia

 

Não é a primeira denúncia do tipo. O youtuber Rafael Silva Oliveira, mais conhecido como Rafinha BK, publicou um vídeo gravado no Colégio Municipal Pelotense, em Pelotas (RS).

 

Nele, fica claro a doutrinação ideológica dos alunos durante o “3º Encontro Sobre Gênero, Diversidade e Educação”, que fazia parte da Semana da Diversidade, organizada pela prefeitura municipal, e focada no ensino da ideologia de gênero.

 

Realizado durante o horário normal de aula, os estudantes disseram ao youtuber que foram obrigados a comparecer às palestras. Quem não participassem do evento, “ganhava falta”. Os assuntos abordados também seriam cobrados em um trabalho no final do bimestre. “Um deles me contou que a palestra iria compor a nota de Educação Física”, explica Rafinha.

 

Em entrevista à Gazeta do Povo, o autor das filmagens conta que “A palestra teve uma apresentação sensual, uma performance de duas mulheres e um rapaz, que ficavam se retorcendo no palco”.

 

“Em outra palestra, uma mulher disse ter o sexo imposto pelo médico quando nasceu e que no decorrer da vida foi se descobrindo homem. As informações apresentadas não tinham base científica alguma, eram só teses. O objetivo era doutrinar na questão de gênero. Uma drag queen também deu uma palestra, defendendo ‘direitos humanos’ e inclusive atacando o deputado Bolsonaro”, acrescentou.

 

No vídeo o diretor do colégio, Arthur da Silva Katrein, nega a obrigatoriedade de participação no evento. “Com certeza não. Nenhum aluno foi obrigado a vir”, insiste. Após a divulgação do vídeo, alguns alunos disseram que não foram obrigados a comparecer, mas Rafinha explica que eles eram parte da militância que organizou a apresentação.

 

“Vários relatos colhidos na hora mostram que quem não fosse iria para a direção”, reitera o youtuber.

 

A apresentação no Rio Grande do Sul repete situação semelhante à da Bahia onde uma drag queen fez uma performance no Colégio Estadual Odorico Tavares, em Salvador (BA) onde dançou e foi se despindo até ficar com apenas um collant e um espécie de biquíni. Sua dança sensual diante dos alunos foi filmada e postada nas redes sociais.

 

Os dois casos levantam o debate sobre os limites na erotização de crianças no Brasil, ao mesmo tempo que o Ministério da Educação divulga a nova Base Nacional Comum Curricular, tentando tirar o tema ideologia de gênero, incluída no programa pelo governo do Partido dos Trabalhadores.

 

Assista o Vídeo Aqui

 

Fonte: Gospel Prime 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!